quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Viagem de Moto pelo Brasil - Relato 01






Aqui começam os relatos da viagem que efetuamos eu, GILBERTO CESAR BARBOSA DE OLIVEIRA e ARLI FIGUEIRA. 
Um giro de moto pelo Brasil, com visita a todas as capitais dos estados e Distrito Federal.
Saída de Porto Alegre: 27/08/2016
Retorno  Porto Alegre: 19/11/2016
Duração da Viagem: 85 dias
Km percorridos: 20.255
Combustível:  940 litros
Motos utilizadas: Shadow 600/2003 e Shadow 750/2013


1º Relato:
Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Londrina e interior de São Paulo.


A  CRUZADA PELO  PAÍS    
            Sábado, 27 de agosto de 2016. Começávamos a  colocar em prática aquilo que, desde o ano 2013,  vinha sendo planejado, estudado e planificado: Cruzar o país utilizando a motocicleta. 

                 Objetivo principal: Visitar todas as capitais dos estados brasileiros e Distrito Federal em um circuito único.

                  Denominação da Viagem:  RODA BRASIL UM GIRO DE MOTO PELAS CAPITAIS.
                   Estimativa de duração da viagem: Agosto à Novembro.      A montagem inicial do projeto previa apenas uma motocicleta tendo como condutor Gilberto Cesar Barbosa de Oliveira. Mais tarde, outros parceiros se interessaram, porém Arli Figueira foi o motociclista que firmou ida e, juntos, iniciamos os preparativos para a grande cruzada.                                                    

             Arli e eu somos motociclistas pertencentes a Moto Grupos diferentes. Ele do "Virando Rodas" e eu do "Moto Grupo Com Destino", ambos da cidade de Porto Alegre, a capital dos gaúchos.

1º dia 

Sábado - 27/08

De Porto Alegre para Florianópolis
Gilberto Cesar
     Ainda em casa, na manhã do sábado, efetuei um registro da moto, bastante carregada, seguindo a lista de materiais a serem levamos, tais como: roupas, pequenos suprimentos, barraca, colchão, câmaras de ar, vacina para pneus, dentre outros.    
O   ponto de encontro se deu na Av. Sertório 3427. Neste local, funciona a MOTO ENCONTRO MOTO CENTER, loja e oficina multimarcas.
                      
                        Um café da manhã, nos foi ofertado, a título de boa viagem. Não poderia faltar, obviamente, a presença dos nossos parceiros motociclistas dos nossos respectivos motos grupos e, também do Moto Amigos do RS  
 Participação no café: Gilberto Cesar, Arli Figueira, Patrícia, Cesar Oliveira, Afonso, Nelsi, Peterson, Jonas, Celso Guimarães, Carlo, Paulo Silva e Angelino.
                                    Tomando mate,  o Celso, proprietário da Moto Encontro Moto Center

                            Conforme combinado, o almoço se deu na cidade de Torres, com a dispersão dos parceiros a partir de então.


Dos participantes do café, vários foram juntos até a cidade de Torres.
Jonas Santos, foi mais além indo até Florianópolis.

                       Um registro fotográfico, no pós almoço. e a dispersão começou a acontecer.                  
Gilberto Cesar, Jonas, Angelino, Arli, Paulo, Carlo, Peterson, Afonso e Nelsi 


FLORIANÓPOLIS 
a 1ª Capital
                           Na primeira capital onde chegamos por volta das 19h, acontecia um Encontro de Motos promovido pelo Moto Grupo Norte da Ilha, tendo por local a praia de Cachoeiro do Bom Jesus



O camping, montado no próprio local do evento, foi onde efetuamos o primeiro pernoite da viagem.          
       O bom evento catarinense foi se estendendo até boa parte da madrugada, quando tratamos de nos recolher nas barracas.          
       

2º dia 

Domingo - 28/8

De Florianópolis para Curitiba


A ponte Hercílio Luz

Mercado Público 
No domingo, os registros fotográficos de Florianópolis, a despedida do parceio Jonas, e começamos a rumar para a nossa segunda capital.   

CURITIBA
a 2ª Capital
Almoço em Joinvile
                                  As duas motocicletas, programadas para cruzar o Brasil, cumpriam o roteiro rumo a segunda capital. Uma parada para almoço, ainda em solo catarinense, na bela cidade de Joinville, a maior cidade daquele Estado.
                                      
Cruzando para o Estado do Paraná

Logo veio a divisa dos estados Santa Catarina com o Paraná. Com isso, estávamos ingressando no segundo estado da federação em nosso segundo dia de viagem.




Em Curtiba, a segunda capital


Tal qual Florianópolis, a capital paranaense é por nós bastante conhecida o que por consequência dispensou maior estada. 


3º dia 

Segunda-feira - 29/08

De Curitiba para Londrina


Deixamos Curitiba, na segunda-feira, 29/08. O pernoite se dera no Hotel Cervantes, centro da cidade, o que ainda nos permitiu um passeio pela área central da capital, que começava a receber seus cidadãos rumo ao cotidiano.

                                    O dia seria de muita rodagem, com a intenção de pernoitar já em solo paulista, mais precisamente na cidade de Presidente Prudente. No entanto, as várias praças de pedágio, e o grande número de paradas devido à "pista única", em função de obras em vários trechos, davam sinais que pernoitaríamos novamente ainda em solo paranaense. Com vistas a não perder muito tempo, trocamos o almoço por um lanche rápido e tratamos de voltar a rodar. 
                         Veio a tarde e também a cidade de Ponta Grossa, que tem como atração o Parque Estadual de Vila Velha. Visitar o parque estava em nossas anotações, porém, por problema de horário, o local estava fechado. Assim deixamos de ver "A Taça", maior arenito do conjunto que ali se encontra.
No percurso para Curitiba, a subida da Serra do Cadeado é um bom atrativo. As íngremes subidas tornam o trânsito muito lento, além da quantidade  de caminhões que se arrastam, tanto para subir quanto para descer a serra.

Gilberto, Fernando e Jorge


Por volta das 17h, chegamos a Londrina com alguns bons pingos de chuva. 
Por intermediação dos integrantes do grupo WhatsApp "Moto Turismo Brothers" irmandade nacional de apoio ao motociclista estradeiro, um parceiro de nome Jorge Domareski nos receberia para dar apoio e orientação.
Jorge e Fernando, do Moto Amigos de Londrina, nos receberam e prestaram todo o apoio com pernoite na casa do Jorge.



 4ºdia  

Terça-Feira - 30/09

De Londrina para Presidente Epitácio


Jorge Ligando para a borracharia
  Tudo preparado para deixar a Londrina na terça-feira, 30/08, que amanhecera com chuvas. No entanto, o pneu traseiro da moto do Arli Figueira, estava arriado. "Furado", ... falou o Jorge .... Agora são 7h... teremos que esperar o borracheiro abrir as portas da borracharia ... complementou o anfitrião. 
Ivan, Gilberto Cesar e Arli

                                                                                Em meio a espera, recebemos  a visita do representante do Brazil Riders, organização mundial de apoio ao motociclismo. Ivan  representa o grupo em  Londrina



O borracheiro Zé
Jorge e eu tratamos de levar a motocicleta para a borracharia. Por precaução, devido à chuva e pneu furado, Arli preferiu que eu pilotasse a sua moto. Jorge acompanhou pilotando a sua moto. Como o borracheiro estava tratando de outro pneu e a espera seria longa, Jorge tratou de efetuar outros afazeres. Fiquei eu na espera. 

                              Lá pe
las tantas, o borracheiro de nome Luiz Carlos, conhecido como Mazola ou ainda como, disse não saber como desmontar a  roda da moto.  

                                             “Vai ali no Martins”....ele desmonta... você volta aqui e eu conserto, disse.
                   
Oficina do Martins, em Londrina
Martins, na verdade, é proprietário de uma oficina de conserto de motos. 
Ao chegarmos, Martins respondeu: .....Tranquilo,  vamos desmontar e levar lá no ..., depois monto e vocês seguem viagem.

E as conversas se sucederam. Martins é trilheiro, porém tem também uma big trail com a qual ele e sua esposa efetuam viagens.

               Ao certo, é que a conversa motociclística evoluiu tanto, que  o Martins ingressou nos grupos de discussão para futuras viagens, dos quais somos participantes.
Martins, o mecânico. Zé o borracheiro
                                                                             Retirada a roda, voltamos à borracharia.     Desmontado o pneu, ficou constatado que a câmara de ar, apesar de novíssima, apresentou defeito em uma das emendas. Restou pegar a reserva e efetuar a substituição.

A moto ficou pronta e a chuva não parou.
Nos despedimos do Martins, da sua família, do Jorge e deixamos Londrina em direção a Mato Grosso do Sul.            
    

Os relógios apontavam 11h, portanto um considerável atraso, que somado a chuva presente indicava que, no máximo, chegaríamos à divisa dos estados de São Paulo com o Mato Grosso do Sul.
Com muita cautela, rumamos para lados de Assis,  passando por Bela Vista do ParaísoAlvorada do Sul e Presidente Prudente.


        Com algum tempo disponível para rodar, a opção de pernoite passou a ser a cidade de Presidente Epitácio.
Rua Porto Alegre, a rua  do Hotel 

Lá chegando, por ser uma cidade de pequeno porte, a localização de um hotel foi rápida e tranquila. Sem problemas, encontramos o "Nosso Hotel" para o descanso noturno.

Descarregados os alforges, retirada as roupas de chuva, sobrou ainda algum tempo para um chope num bar da cidade.

Uma das paradas para abastecimento no trecho Londrina, PR e
Presidente Epitácio, SP

Fotos e Relato: Gilberto Cesar
Moto Grupo Com Destino
Porto Alegre - RS
comdestinomotos@gmail.com
gilberto-cesar13@hotmail.com







Nenhum comentário:

Postar um comentário